segunda-feira, 8 de maio de 2017

Snapper Madness

Trago hoje mais um capítulo para a colectânea:
 "Dias que ficam para a História".

Quem é que se lembra de marcar uma saída de Jigging para o Dia da Mãe???

Pois parece que nós marcamos! Antecipa-se a comemoração para o sábado "et voilá", siga para a pesca!!!

Neste "Dia da Mãe", foi a própria "MÃE Natureza" a presentear-nos com mais um dia de excepção a bordo do "Rebuliço", do amigo Paulo Cristão.
Dos 5 convivas inicialmente previstos, só 3 embarcaram devido a problemas de última hora, bastante desagradáveis que espero sinceramente que se resolvam rápida e totalmente.

Estava reunida a guarnição do navio, composta por: o Comandante Paulo Cristão, o terror dos capatões, Telmo Castor e o marinheiro maçarico nestas andanças do Jigging... Eu mesmo!

Sol a despontar e o "Rebuliço" já navegava furiosamente em direcção ao "Mar dos Monstros" onde iriamos testar os ferros, os anzois e a habilidade dos pescadores.

O dia teve um pouco de tudo: 
Começando por um marinheiro mareado ao início da manhã, mais habituado a lides do rio,  mas que depressa recuperou, 
O tempo de excepção e o mar calmo, com alguma vaga a levantar à tarde, mas sem incomodar.
Longos períodos em que a sonda se mantinha completamente deserta e obrigaram o Paulo a palmilhar algumas (muitas) milhas a mais para tentar dar com o peixe, 
Períodos de actividade frenética de deixar a adrenalina no red line a qualquer um, com literalmente MILHÕES de pequenas cavalas alvoradas à superficie, deixando adivinhar que andaria escama grossa lá por debaixo.
Um almoço ao estilo banquete da aldeia do Asterix (só faltou o Javali) e a boa disposição e camaradagem que é um requisito fundamental a bordo do "Rebuliço"
...e o que realmente veio dar um sabor especial a este dia, já por si excepcional, AS CAPTURAS.

Chega de conversa fiada e vamos à reportagem fotográfica

video
O oceano a fervilhar de vida

O primeiro Pargo com um "P" grande do maçarico


Telmo, o Terror dos Capatões

O Comandante e o dentolas cabeçudo

O cabeçudo a fazer cara de mau para a foto

O resultado final

A pose para a posteridade

Conclusão, um dia excepcional, que coloca muito alta a fasquia a bater, mas que nos motiva a  continuar a tentar.

Meus amigos, muito obrigado por este dia. 
Há que repetir assim que possível!

Até à próxima...

2 comentários:

  1. E que se repita por muitos e longos anos...hehehe :-)
    Linda pesca e dia para nunca mais esquecer meu amigo :-)

    Grande abração

    Luís Malabar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há dias assim, mas tambem há muito "chibo". Há que aproveitar estes para guardar na memória

      um abraço

      Eliminar