quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Boas Festas

Desejo a todos os seguidores e amigos um FELIZ NATAL e um ano de 2016 carregadinho de escamas.

Boas Festas



Até já! ;)

domingo, 11 de outubro de 2015

Arrumação para zagaias "low cost"

Quem pesca embarcado e com zagaias pequenas, sabe o flagelo que é, tê-las todas misturadas, as fateixas e assists todos empachados e as zagaias todas "quincadas" devido à forma como se arrumam e transportam.

Resolvi arranjar uma solução "Low Cost" e a meu ver "High Performance" para este problema.

Uma caixa de ferramenta pequena, das mais baratas, um tubo de espuma para isolamento termico de canalizações de água e um canivete para cortar o tubo.... e em 5 minutos está feito! 
...e por menos de 4€ !!!

O único senão é que ocupa um pouco mais de espaço do que uma caixa de amostras normal, mas no meu entender, vale bem esse espaço!




Como é lógico, aumentando o tamanho da caixa e o diâmetro do tubo, podemos adaptar esta solução a zagaias maiores.


Até à próxima!

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Test Drive

Hoje, aproveitando a vestoria, tive hipotese de fazer o primeiro test-drive à nova máquina.

Ficou aprovado com distinção, faltando apenas uns pequenos ajustes para estar a 100%

Muita força, o que se traduz numa excelente relacção "peso-potência" e muito silencioso.

Embora houvesse alguma "mareta" levantada pelo ventinho que se fazia sentir, e que não permitia manter um navegar estável a planar, pois batia um pouco, consegui chegar aos 22 nós (sózinho) e aos 18-19 com 3 pesos pesados a bordo.

Para breve mais desenvolvimentos

;)





video



segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Já bufa!

A nova máquina está pronta!

Honda BF30

Só falta a vestoria que será esta semana e depois é dar umas gazadas para ficar a conhecer o comportamento do bicho!

Saiam da frente que o XÔC não tem travões!




https://youtu.be/gRfkxGbsQa0

Até á próxima!

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Novas leis da pesca lúdica

Será que alguém finalmente está a abrir os olhos??

...ou estarão só a mandar areia para os olhos da malta?

Vamos esperar e ver que novas restrições vem para aí!

Entretanto fica este artigo do jornal "Notícias do Mar"



Nova Legislação da Pesca Lúdica para Animar a “Malta”



  Ao fim de vários anos de Legislação encomendada pelos grandes armadores, atirando as culpas da diminuição dos “stocks” para a pesca lúdica e dos protestos, manifestações e apelos destes, solicitando uma Lei justa, este Governo lá se convenceu e promulgou uma Portaria que vai dar alguma animação aos pescadores lúdicos.
Há países que entendem que a pesca lúdica, na vertente turística, é uma actividade extremamente importante para a sua economia. E determinaram zonas, que foram mesmo interditadas à pesca profissional e reservadas para a pesca lúdica e para o turismo. 

Há já vários anos que a Universidade do Algarve efectuou um estudo do qual resultou que a pesca lúdica tem um impacto irrisório nos stocks, com apenas 0,2%.
No entanto, toda a legislação que tem sido feita, tem tido o cuidado de proclamar que é por causa do esforço da pesca lúdica que os pescadores profissionais pescam menos e cada vez há menos peixe. 
Sempre se soube quem estava por detrás de toda a legislação que se fez restringindo a pesca lúdica, pois alguns dos grandes armadores até deram a cara em entrevistas. Para defenderem a sua actividade nociva e raparem os fundos com os seus arrastos sem serem incomodados, não atacaram as redes, mas sim o “desgraçadinho” do pescador lúdico, que acabou por ser apontado como o grande culpado de tudo.
Agora, esses “senhores” já não rapam os fundos aqui, apenas porque já não há nada para rapar, porque nem com as Directivas Comunitárias desistiam do arrasto
Por causa desta actividade altamente prejudicial, as redes de pesca foram aproximando-se de terra, para não serem levadas pelos arrastões. 
Se os pescadores profissionais pescam agora menos do que pescavam, a culpa é principalmente deles, nunca dos pescadores lúdicos.  
Ao longo da costa, existem milhares de Km de redes que se mantêm permanentemente na água para pescar, mas mais não fazem do que matar o peixe e muito pouco pescam. Também lá estão no fundo milhares de Km de redes abandonadas. 
Depois dos arrastões, é agora isto que tem dado cabo dos stocks, pois o peixe não consegue aproximar-se das zonas de desova, mais abrigadas e juntas a terra, impedidos por paredes de redes, a poucas milhas da costa+ e umas a seguir às outras.
Todos os anos são largadas para o fundo, mais uns quantos milhares de redes e as que lá estão nunca são retiradas. Muito raramente, pescadores conscientes fazem o seu levantamento.
Uma pergunta que todos os pescadores lúdicos fazem: Quando se decreta o levantamento total do fundo das redes abandonadas? Porque toda a gente sabe onde é que elas estão.  

Uma Portaria que acabou com algumas injustiças 

Depois de ter saído o Decreto-Lei nº 246/2000, mais três Decreto-Lei, e a Portaria nº 143/2009, houve muita gente que arrumou as canas, desistiu de pescar e houve lojas de material de pesca que acabaram por fechar. 
Estava prometida nova legislação, que era aguardada com muita desconfiança.
A Portaria nº 14/2014 que saiu agora, vem dar uma enorme satisfação aos pescadores lúdicos e algum alento às actividades económicas do sector.
Tem para já a vantagem de estabelecer a regulamentação necessária, para proceder à integração num único documento das diversas disposições que regulamentam a pesca lúdica.
Esta Portaria também vai simplificar a forma do pagamento das licenças, ao organizar uma modernização administrativa e passando a considerar o registo electrónico no sistema de informação da pesca lúdica.
Porém, a revogação da Portaria nº 143/2009 é que foi a principal vitória para os pescadores e mariscadores lúdicos da Costa Vicentina e igualmente para todos os outros, pois deixa de haver a discriminação entre os portugueses nascidos e residentes no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, que podiam apanhar marisco na área e os restantes cidadãos não. 
Também, graças à revogação desta Portaria, acabaram as áreas interditas na Costa Vicentina, bem como outras restrições que havia nesta zona, como a pesca ao sargo e ao bodião.
Os pescadores lúdicos desta região, deixaram de estar com a limitação dos 7,5 Kg de peixe, polvos, lulas e chocos. Agora, já podem pescar os 10 Kg, como todos os outros e os pescadores submarinos podem capturar até aos 15 Kg. Tal como já era admitido, o exemplar maior e com mais peso, o chamado troféu, não conta para a pesagem.
Também já se pode apanhar mais marisco. Os perceves, lapas e burriés, podem-se apanhar em conjunto até 2 Kg. Os mexilhões até 3 Kg e as ostras e amêijoa-japonesa não mais que os 5 Kg.
No que respeita aos dias permitidos para a pesca lúdica, nas Áreas Protegidas com área marinha, como o Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, Parque Natural da Arrábida, Parque Natural do Litoral Norte e Reserva Natural das Berlengas, são autorizados todos os dias a pesca apeada. Acabou portanto a restrição que havia para os pescadores na Costa Vicentina. Muitos protestos se ouviram, por causa disso.
Quanto à pesca embarcada nestas áreas, só é permitida de quinta-feira a segunda-feira e nos dias feriados, ficando limitada a 5 dias por semana, com excepção do período compreendido entre 1 de Junho e 30 de Setembro.
Nestas áreas, as embarcações em que se exerça a actividade marítimo-turística não estão sujeitas a essas restrições.
O problema da pesca embarcada, é que nunca se sabe se o mar deixa sair de quinta-feira até segunda-feira. E se os dias bons, para se sair com segurança, forem na terça-feira e na quarta-feira. Agora, com bastante antecedência, já se sabem quais são os melhores dias para a pesca e quais são os dias que vão obrigar a fazer saídas arriscadas. 
Esta Portaria nº 14/2014 podia ter previsto esta situação e não proibir quaisquer saídas.
Se houve o interesse de satisfazer os pescadores lúdicos de poderem pescar de barco todos os dias nas férias em Junho, Julho, Agosto e Setembro, qual é o benefício que esta proibição traz? Qual é o impacto que vão fazer nos stocks, se poderem pescar todos dias nos restantes meses? 
Nenhum pescador lúdico embarcado vai à pesca todos os dias, mesmo nas férias. Já é normal, serem os pescadores a escolher os dias em que ficam em terra, respeitando a meteorologia. Porque têm que ficar nos dias determinados pela Lei?
Se nem mesmo os pescadores profissionais saem todos os dias, os pescadores lúdicos ainda menos. 
O que esta Portaria fez, foi colocar em risco a vida de muitos pescadores que tinham apenas um dia proibido de sair para o mar e agora têm dois. E podem acabar por sair nos dias que não deviam.

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Dizer que estou triste é muito pouco



Ninguém imagina como me sinto ao ver isto.
Sinto um nó na garganta e apetece-me chorar!
Para além de triste estou indignado e revoltado!

Conheci este local há muitos anos, quando ainda era totalmente selvagem, quase secreto e muita gente ouvia falar mas poucos sabiam onde ficava.

O Pêgo do Inferno

Havia até hitórias e mitos antigos que diziam que o poço da cascata não tinha fundo e que já lá tinham desaparecido pessoas e animais...

Para lá chegar tinha que se atravessar um ribeiro, andar por terrenos de laranjeiras e atravessar um canavial serrado.

A outra hipotese de lá chegar era a partir do tal ribeiro que tinha que ser atravessado, continuar pela água e subir o ribeiro até à cascata, com as mochilas em cima da cabeça e a água pelo peito.

Muitos peixes, rãs, aves, cobrinhas de água e um sem numero de animais me fizeram companhia em bocados bem passados neste paraiso com alguns amigos e familiares.

Mais tarde, a CM de Tavira resolveu "arranjar" os acessos e contruiu estacionamentos, passadiços, escadas e um caminho sinalizado logo desde a saida da via do infante.

Escusado será dizer que se tornou um local de romaria e logo a partir daí perdeu o seu encanto de local selvagem e quase secreto.

Há uns anos houve um incendio que devastou a serra algarvia e os acessos, escadas e passadiços foram destruidos e a vegetação circundante queimada.
Foi triste ver o resultado do incendio, mas a água continuava a correr na cascata e mais tarde ou mais cedo a natureza se iria encarregar de reparar os danos e a vegetação certamente que voltaria a ser verde e abundante. Era apenas uma questão de tempo.

Actualmente deparo-me com estas imágens e a informação que "parece" que a água foi desviada por um proprietário de um terreno privado por onde corria a ribeira que alimentava a cascata.

Mais um crime ambiental GRAVÍSSIMO nesta república das bananas.

O Pêgo do Inferno, que outrora foi um paraiso, faz agora jús ao seu nome.

RIP



 




terça-feira, 16 de junho de 2015

INQUÉRITO





Está a ser enviada uma SMS a todos o detentores da licença de pesca lúdica para preencher um inquérito no site da DGRM


Esta medida na minha opinião serve para "tirar nabos da púcara" e justificar algumas medidas restritivas ou MUITO RESTRITIVAS que estão na calha.

Será eventualmente interessante responder ao mesmo, mas tendo em atenção as respostas que vão dar.

Analizem cada pergunta e de que forma a vossa resposta pode ser usada para atingir os fins a que se propõe quem faz este tipo de inquérito.

Deixem o EGO de parte e respondam com cabeça.
 
Acreditem que este inquérito não é para nos dar nada!


quinta-feira, 4 de junho de 2015

Capitania Online

Descobri ontem por informação de um amigo, que está disponível no site da Autoridade Marítima Nacional - www.amn.pt - a "Capitania On-line"

Este serviço permite realizar uma serie de tarefas, como por exemplo pagamentos ou pedidos de licenças ou requerimentos sem ter que nos deslocarmos à capitania ou delegação marítima.

Para tal basta-nos aceder ao site  www.amn.pt 



Ir a "Capitania On-line"



Para a taxa de farolagem e balizagem, por exemplo vamos a "ROL/Taxa de Farolagem"



Depois adicionar a embarcação para que fique registada na plataforma "on-line" e esperar que seja aprovada e a partir de aí seguir as instrucções.

Até à proxima!


domingo, 26 de abril de 2015

Feira de Nautica e Pesca em Oeiras

Hoje venho publicitar mais uma excelente iniciativa a ter lugar nos dias 8, 9 e 10 de Maio na Marina de Oeiras

Fica o cartaz com as actividades.

Não faltem!


domingo, 12 de abril de 2015

Chocomania

Abril, dias de sol e pouco vento rimam com...

Pesca aos chocos

Mais uma saida no "XÔC" desta vez só com o relato fotográfico:

 
 
  
  
 
 

Ao chegar a casa ainda houve tempo para provar alguns ao jantar ;)


Até à próxima!

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Duas seguidas

Fim de semana de Páscoa, com um tempinho daqueles mesmo 5 estrelas. 
Sol, calor e pouco vento.
Se juntarmos a isto a muita vontade de ir à pesca e o facto de já não o fazer há uns 2 meses, estavam reunidas as condições para um fim de semana à maneira.

6ª Feira - Bailarico e a estreia.

Na 6ª feira, o objectivo era ir ao tejo fazer um bocado de trolling à procura dos robalos e ir "picar" uns spots maravilha a ver se andavam por lá as corvinas.

Nesta jornada acompanhavam-me um marinheiro "habitué", o Rui Silva (que desta vez se escondeu das fotos) e um estreante nestas andanças, o Fernando Rodrigues que ia fazer o primeiro teste a sério ao seu Micro RIB "DILI".

As corvinas não deram sinal, mas a passarada deu-nos sinal de que andava por ali comedia e peixe alvorado por baixo com vontade de comer.
O resultado foi uma brincadeira engraçada, com muito peixe pequeno a ser devolvido e algumas bailas que vieram conhecer a minha arca por dentro e um lanche com o que sobrou do almoço na doca do Centro Nautico de Algés
Chega de conversa, ficam as fotos:


 Sábado - Nevoeiro, Sol, Chocos e tudo o que temos direito

"Em Abril, Chocos Mil"...
...e como tal lá rumamos a Setúbal (eu e o Sr. Arquitecto Carlos Fazenda) para ir ver se conseguiamos enganar alguns.
Vimos o sol nascer em cima da ponte 25 de Abril e vimo-lo esconder-se com o nevoeiro ao chegar a Setúbal para só voltar a aparecer já depois do meio dia.

Lá apanhámos "qualquer coisita" mas a jornada só acabou com uma jantarada de chocos grelhados para ver se não estavam estragados.

 Ficam as fotos:



...e foi assim!

Até à proxima!