segunda-feira, 8 de maio de 2017

Snapper Madness

Trago hoje mais um capítulo para a colectânea:
 "Dias que ficam para a História".

Quem é que se lembra de marcar uma saída de Jigging para o Dia da Mãe???

Pois parece que nós marcamos! Antecipa-se a comemoração para o sábado "et voilá", siga para a pesca!!!

Neste "Dia da Mãe", foi a própria "MÃE Natureza" a presentear-nos com mais um dia de excepção a bordo do "Rebuliço", do amigo Paulo Cristão.
Dos 5 convivas inicialmente previstos, só 3 embarcaram devido a problemas de última hora, bastante desagradáveis que espero sinceramente que se resolvam rápida e totalmente.

Estava reunida a guarnição do navio, composta por: o Comandante Paulo Cristão, o terror dos capatões, Telmo Castor e o marinheiro maçarico nestas andanças do Jigging... Eu mesmo!

Sol a despontar e o "Rebuliço" já navegava furiosamente em direcção ao "Mar dos Monstros" onde iriamos testar os ferros, os anzois e a habilidade dos pescadores.

O dia teve um pouco de tudo: 
Começando por um marinheiro mareado ao início da manhã, mais habituado a lides do rio,  mas que depressa recuperou, 
O tempo de excepção e o mar calmo, com alguma vaga a levantar à tarde, mas sem incomodar.
Longos períodos em que a sonda se mantinha completamente deserta e obrigaram o Paulo a palmilhar algumas (muitas) milhas a mais para tentar dar com o peixe, 
Períodos de actividade frenética de deixar a adrenalina no red line a qualquer um, com literalmente MILHÕES de pequenas cavalas alvoradas à superficie, deixando adivinhar que andaria escama grossa lá por debaixo.
Um almoço ao estilo banquete da aldeia do Asterix (só faltou o Javali) e a boa disposição e camaradagem que é um requisito fundamental a bordo do "Rebuliço"
...e o que realmente veio dar um sabor especial a este dia, já por si excepcional, AS CAPTURAS.

Chega de conversa fiada e vamos à reportagem fotográfica

video
O oceano a fervilhar de vida

O primeiro Pargo com um "P" grande do maçarico


Telmo, o Terror dos Capatões

O Comandante e o dentolas cabeçudo

O cabeçudo a fazer cara de mau para a foto

O resultado final

A pose para a posteridade

Conclusão, um dia excepcional, que coloca muito alta a fasquia a bater, mas que nos motiva a  continuar a tentar.

Meus amigos, muito obrigado por este dia. 
Há que repetir assim que possível!

Até à próxima...

terça-feira, 4 de abril de 2017

Um dia para recordar

Há jornadas que ficam na memória por muitos anos.
Esta em particular, teve um pouco de tudo.  ...e em bom!

A "companha" para esta "empresa", para além da minha pessoa foi o amigo Nuno Sá, até então um ilustre desconhecido e o Paulo Cristão, comandante do nosso navio, o "REBULIÇO"

O objectivo estava traçado. Ir buscar o "Rebuliço" que estava estacionado em Setúbal, e trazê-lo por mar para Lisboa.
 ...e como é lógico aproveitar a viagem para pescar e o Jigging foi a modalidade escolhida.

Saímos ainda de noite cerrada, em direcção ao despontar de um dia que se veio a revelar quase perfeito.
Houve um pouco de tudo: uma viagem porreira, com uma paisagem maravilhosa, a companhia e o ambiente a bordo, excelentes, um petisco que mais parecia um banquete e o peixe a colaborar.

O único senão foi uma brisa teimosa, que tornava as derivas muito rápidas, mesmo com a ajuda do drogue, e que fazia com que a vaga estivesse "partida". Por isso o "Rebuliço" fizesse juz ao nome e não parou quieto por um segundo (as minhas pernas que o digam).

Chega de conversa fiada. Vamos ao relato fotográfico






 




...e pronto! ...foi isto!

Alguém tem dúvidas que foi um dia em grande??

Para ser perfeito, faltou eu também apanhar uma corvina.
Resta-me o consolo de ter apanhado o maior robalo do dia.

...mas há que dar oportunidade aos mais novos! 

HAHAHAHAHAHA!

Até a proxima!



domingo, 19 de março de 2017

Tutorial - Choco Frito para totós

É certo e sabido que a pesca é um vício. 
Um bom vício, um vício saudável, talvez o melhor dos vícios, mas ainda assim um vício.

Mas pesca aos chocos é um vício à parte, dentro do próprio vício...

Ontem foi dia de ir pôr os palhaços de molho e repôr o stock de choco na arca.

A pescaria não foi das melhores mas ainda assim, rendeu 26 chocos e um polvo para a minha conta pessoal, qualquer coisa perto dos 10kg


Ora... cá em casa, sempre que há choco, é obrigatório fazer choco frito, que é o pitéu preferido da minha filha.

Infelizmente, já por várias vezes, fiquei desconsolado com algum do choco frito que se faz em certos restaurantes , alguns mesmo na Capital do Choco - Setubal

Como até tenho jeito para a coisa (sem me querer gabar), resolvi aproveitar a preparação do jantar de hoje para tirar umas fotos e partilhar a minha receita.
Simples mais simples, não há!

Começando pela matéria prima


 Escolher chocos grandes e quanto mais frescos, melhor

Amanhar os chocos, retirando as barrigas, espinha e a pele

Cortar às tiras, a gosto

Para o tempero não há segredos:

Farinha de milho, pimenta, colorau, piri-piri em pó, alho e uma malagueta

Preparação:

Começar por descascar e esmagar 3 ou 4 dentes de alho, e abrir a malagueta ao meio e retirar as sementes e juntar ao oleo ainda frio

Deixar o óleo aquecer bem, Nesta altura os dentes de alho e a malagueta já estarão fritos e durante este processo passaram o sabor para o óleo e podem retirar-se para se iniciar a fritura do choco.

Entretanto, enquanto o óleo aquece, coloca-se um bocado de farinha de milho numa caixa, e junta-se uma quantidade +/- generosa de pimenta, colorau e uma pitada de piri-piri em pó. 

Misturar tudo muito bem para que os tempreos se misturem homogeneamente com a farinha

Depois do óleo quente e do polme preparado, só falta fritar o choco

:::IMPORTANTE:::
Só neste momento é que se coloca o sal para que não fique demasiado salgado ou rijo, já que o choco, como os restantes cefalópodes tem tendencia a reter muito sal 

Gosto de usar flor de sal para estas coisas

Depois é envolver bem o choco no polme...

...e pôr a fritar

Ao fim de poucos minutos está douradinho e pronto a sair

Desta vez foi acompanhado por um arrozinho de feijão e um tintol alentejano que até estalou.

Espero que já estejam todos com água na boca.

Tem bom remédio! Vão à pesca, apanhem chocos e experimentem a receita.

Até à proxima! 









terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Spring Fest - ALVOR CAMPING




É já o 6º ano consecutivo em que o Camping Alvor organiza "A FESTA"

Um dia de diversão, convívio, comes e bebes e muito Rock 'n' Roll

Uma festa em que todos são bem-vindos, com entrada livre promovida por:

Salema ECO Camp - http://www.salemaecocamp.com/

Mobile Home 4 U - http://mobilehome4u.com/

Camping Alvor - http://www.campingalvor.com/

E com a participação da melhor banda do mundo! ... e quem sabe, até mesmo de ALVOR!

BLUFF BAND Covers - https://www.facebook.com/Bluff.2010/?fref=ts


Apareçam!

domingo, 26 de fevereiro de 2017

A brincar ao carnaval

Depois de uma abertura de época "chocalheira" um pouco envergonhada, na semana passada, devido à mudança repentina de tempo, ao vento e alguns chuviscos que se fizeram sentir, esta semana, com o tempo a colaborar mais um pouco, tinha que ir ver o que é que se passava pelas águas que banham a cidade de Bocage.

O companheiro de jornada foi o Fernando Rodrigues, companheiro de já muitas outras fainas, mas pouco experimentado nestas lides de borrar o barco com tinta.

Entramos na água pouco depois do nascer do sol e até meio da manhã a coisa não se afigurava promissora. Os chocos eram poucos e pequenos e mal tapavam o fundo do balde.

Estavámos a pescar nas zonas onde havia uma considerável concentração de barcos e a sorte estava igual para todos, porque muito raramente se via alguém tirar alguma coisa.

Resolvi zarpar dali e ir para uma zona com uma "densidade embarcacional" muito mais reduzida (para não dizer quase nula) e aos poucos a coisa começou a compor-se.

Conseguimos perceber o padrão de cores que estava a funcionar ontem e também a zona onde eles estavam a pegar.

Derivas curtas, a passar por cima do "hot-spot" e a cada passagem íamos conseguindo embarcar em média 4 ou 5 chocos de tamanho médio.
O meu parceiro de jornada embora pouco experiente nestas andanças, estava de mão afinada e deu réplica à altura.

Foi uma pesca um pouco mais trabalhosa que o normal para uma jornada de chocos, devido aos constantes reposicionamentos para uma nova emposta, mas os resultados apareceram e a coisa compôs-se

Fica o relato fotográfico:



 O tempo enfarruscado e a fazer caretas, mas aguentou-se

Calmaria

O Fernando concentrado a falar com eles

As minhas pinturas de carnaval


 Aos poucos eles iam chegando...


...e a coisa ia-se compondo.

Só para espreitar...

Ainda conseguimos apanhar meia dúzia deles

Divididos "irmãmente"



E um pôr do sol maravilha para acabar a jornada em beleza

Até já...

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Vamos às Migas



Está quase aí mais uma edição da Mora Pesca

Há quem diga que lá vai ver material de pesca, e tal...

Para mim é só uma desculpa para ir comer umas migas de espargos com entrecosto

;)


Até lá!!